top of page

Será o fim do comunismo cubano e o início de um sistema democrático?


Figura disponível em: https://ichef.bbci.co.uk/news/976/cpsprodpb/16B9D/production/_119358039_068552991-1.jpg

Nos últimos dias, desde 11 de julho, o governo cubano tem enfrentado protestos intensos da população em várias cidades do país, em que as principais reivindicações seriam a melhoria da qualidade de vida, bem como maior liberdade. Além disso, a pandemia da COVID-19 tem atingido fortemente a população potencializando a insatisfação popular, em que pese Cuba ter a reputação de possuir bons serviços médicos e de ter desenvolvido uma vacina própria contra o coronavírus.

Os atuais protestos têm sido considerados os maiores e mais preocupantes, até agora, na história comunista dessa ilha caribenha, o que pode colocar em "xeque"o governo do atual presidente Miguel Díaz-Canel.

Figura disponível em: https://ichef.bbci.co.uk/news/640/cpsprodpb/9F72/production/_119381804_cuba_protests_map-nc.png

O último protesto cubano relevante, que ficou conhecido como Maleconazo, ocorreu em 1994 durante o regime de Fidel Castro, em que uma parte da população, em sua maioria jovens, reclamavam contra a política econômica vigente. Dessa forma, acabou sendo marcado por cidadãos cubanos que descontentes com os rumos de Cuba preferiam abandonar a ilha, o que acabou sendo permitido por Fidel, gerando uma onda migratória de cubanos aos EUA pelo mar, por meio de barcos improvisados e sem segurança. Com isso, em nossa opinião, foi uma "jogada"geopolítica brilhante do líder comunista, a fim de negociar alguns termos com os EUA.

Figura disponível em: https://ogimg.infoglobo.com.br/in/19216315-650-46c/FT1086A/2003-056825-_20030724.jpg

Nesse sentido, alguns analistas consideram os atuais protestos como uma continuação do Maleconazo, e outros possuem opinião totalmente divergente, pois, diferentemente de 1994, os atuais protestos possuem representantes de todas as idades, não desejam abandonar o país, e além de também não estarem satisfeitos com a situação econômica do país, lutam por liberdade de expressão, como acesso a internet livre e de movimentos anti-governo, com isso consideram os atuais movimentos bastante diferentes, mais contundentes e com maior legitimidade, devido a representatividade populacional e do caráter nacional, do desejo de permanecer no país e da vontade de mudar o regime governamental, o que pode ser exemplificado pelo slogan dos manifestantes: Pátria e Vida.

Diferentemente de como Fidel lidou com a situação em 1994, Díaz-Canel faz uso da repressão violenta estatal, cortes de energia elétrica com o intuito de impedir o acesso a internet, dente outras medidas totalitárias. Ademais, também, concitou os simpatizantes do regime comunista para antagonizar os opositores, o que levou a confrontos entre os grupos, o que leva ao temor da possibilidade de uma guerra civil, caso os protestos se intensifiquem e se tornem mais violentos.

Convém mencionar que o presidente cubano culpa os EUA pelos protestos, alegando que se não fossem os embargos econômicos estadunidenses, endurecidos no governo de Donald Trump e que foram mantidos por Biden, essa situação não estaria acontecendo. Além disso, existe a versão de que o governo de Washington estaria usando táticas de Guerra Híbrida, visando insuflar a população contra o governo.

É digno de nota que a Cuba comunista foi financiada economicamente em períodos distintos por governos simpatizantes a sua ideologia, sendo o principal o governo soviético, que com o fim da Guerra Fria fez com que o país sofresse bastante sem o seu principal financiador. Posteriormente, encontrou apoio na Venezuela Chavista, e que com o atual colapso venezuelano fez com que novamente Cuba mergulhasse num caos econômico, que foi agravado pela problemática do coronavírus.

Nesse cenário podemos verificar certas semelhanças com o que vem acontecendo no Século XXI com os regimes totalitários de esquerda na América Latina, como a Venezuela e a Nicarágua, onde manifestantes, cansados dos longos regimes, exigem mudanças políticas, maior liberdade de expressão e qualidade de vida. Além disso, tais regimes fazem uso da repressão violenta e do controle da liberdade de expressão para se manterem no poder. Da mesma forma, tentam controlar a imprensa independente, a fim de esvaziar as vozes de oposição. Sendo assim, vemos que regimes políticos agonizantes reagem da mesma forma.

Esse quadro pode ser uma oportunidade, em nossa visão, para os adversários dos EUA, como a China, a Rússia e o Irã, desafiarem geopoliticamente esse país, dando suporte ao governo cubano, como ocorreu com a Venezuela.

Outrossim, o atual evento também é uma oportunidade para os EUA tentar subjugar o regime comunista cubano que vem resistindo à anos as pressões de Washington por uma mudança do sistema político. Dessa forma, pode-se entender o motivo do governo Biden não aliviar as sanções econômicas até o desfecho dos atuais protestos.

Nesse diapasão, podemos considerar os atuais protestos como o terceiro grande desafio da história comunista cubana, onde o primeiro foi o fim da União Soviética que colocou dúvidas sobre a continuação do regime castrista, sendo o segundo a morte de Fidel Castro, que era o grande líder cubano, também colocando incertezas na manutenção do comunismo na ilha.

A comunidade internacional está observando atentamente o desenrolar dos acontecimentos em Cuba, com vários lideres demonstrando apoio aos manifestantes, como os EUA, a União Europeia, e o Uruguai, enquanto outros apoiam o governo cubano como a Rússia, a Bolívia e o México.

O Blog é de opinião de que os atuais protestos são um marco na história comunista cubana, e que demonstram que o atual regime está agonizando, o que pode ser o começo do fim da revolução iniciada por Fidel Castro. Dessa forma, resta saber se esse terceiro grande desafio será o que colocará um fim ao regime de 1959, e que poderá dar início a um sistema democrático.

Como existe uma tendência do retorno dos governos de esquerda ao protagonismo na América do Sul, a problemática cubana será um evento importante a ser acompanhado e analisado.

Qual a sua opinião? Você acredita que será o fim do regime comunista cubano?

Seguem os vídeos abaixo para nos ajudar em nossa análise:

Matéria de 12/07/2021:

Matéria de 12/07/2021:

Matéria de 12/07/2021:

Matéria de 12/07/2021:

Matéria de 13/072021:

Matéria de 14/07/2021:

Matéria de 15/07/2021:

Matéria de 12/07/2021:

Matéria de 12/07/2021:

Matéria de 13/07/2021:

Matéria de 12/07/2021:

Matéria de 14/07/2021:

Matéria de :


留言


bottom of page