top of page

Tensão e conflito na região fronteiriça entre Venezuela e Colômbia.


Figura disponível em: https://www.workers.org/wp-content/uploads/Colombia_Venezuela_map.svg_.png

Com a ascensão de Hugo Chávez ao poder na Venezuela, que deu origem ao "Chavismo", as relações entre os governos venezuelano e colombiano ficam marcadas por intensas rivalidades político-ideológicas, pois Bogotá iniciou um forte alinhamento à política de Washington, recebendo um forte apoio a repressão contra os narcotraficantes e grupos guerrilheiros (Plano Colômbia), notadamente as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia - FARC, enquanto o regime de Caracas impõe uma relevante marca socialista que influenciará boa parte dos governos latino americanos.

Nesse cenário, a Venezuela provê um apoio velado aos grupos guerrilheiros colombianos de ideologia socialista e que se opõem ao governo de Bogotá, permitindo o estabelecimento de refúgio a seus militantes, com o intuito de tentar desestabilizá-lo e enfraquecê-lo politicamente. Dessa forma, vários guerrilheiros operam a partir do território venezuelano em direção a Colômbia.

As FARC e outros grupos guerrilheiros, como o Exército de Libertação Nacional - ELN, se enveredam no tráfico de drogas, se transformando em narcoguerrilha, ficando a disputa ideológica em caráter secundário, em detrimento da atividade econômica lucrativa criminosa, e se ramificando para outros países da América do Sul por meio de aproximação com outros grupos criminosos do nosso continente, dentre eles o Brasil

Com o sucesso do governo colombiano, por meio do apoio estadunidense, no combate aos narcoguerrilheiros e com o estabelecimento do acordo de paz, em 2016, tais grupos ficam muito enfraquecidos e desgastados, com vários guerrilheiros depondo as armas.

Os militantes que não aceitaram os termos do acordo começam a serem "empurrados"cada vez para o interior colombiano, nas proximidades da fronteira com a Venezuela. Convém relembrar, que já existiam grupos colombianos, como a ELN, operando no interior venezuelano com a conivência do governo, transformando a Venezuela num hub internacional do tráfico colombiano, além de atuarem na atividade de mineração ilegal.

Figura disponível em: https://www.gisreportsonline.com/media/report_images/drugs-2.jpg

Nesse diapasão, tanto a ELN como as FARC (agora com o nome de Força Alternativa Revolucionária do Comum ou COMUNES) iniciam um recrutamento de venezuelanos que habitam na fronteira, por meio de coerção ou de oferecimento de comida e remuneração financeira, para engrossarem as suas fileiras, e estima-se que cerca 30% dos insurgentes é composta por venezuelanos.

Nas figuras abaixo podemos ter uma ideia do mencionado acima:

Figura disponível em: https://insightcrime.org/wp-content/uploads/2018/11/01-11-2018_Mapa-presencia-del-ELN-en-Venezuela_Insight-Crime_Map_Ingl%C3%A9s-1-768x813.jpg
Figura disponível em: https://i.insider.com/5d0d21d6e3ecba3c42787af5?width=700&format=jpeg&auto=webp

Nesse quadro, em que o governo colombiano se consolida sobre o país, bem como com o enfraquecimento dos narcoguerrilheiros colombianos, há o aumento da operação de tais grupos nas proximidades e no interior da Venezuela, havendo o incremento da violência e das atividades criminosas neste país, transformando-os de quase "proxies" contra Bogotá, em ameaça ao Estado venezuelano. Tal problemática é potencializada pela disputa entre esses grupos, a fim de obter o controle do tráfico de cocaína e da exploração da mineração ilegal.

Podemos inferir que uma vitória total das forças colombianas na repressão desses grupos criminosos em seu território representará um aumento do problema venezuelano.

Sendo assim, o governo de Maduro inicia uma campanha militar contra tais facções, bem como uma Guerra de Informação, alegando que eles são apoiados pelos governos da Colômbia e dos EUA, com o intuito de desestabilizar o seu governo.

No meio da disputa dos grupos criminosos entre si, e com o início do conflito com as forças armadas venezuelanas de um lado, e do outro as tropas colombianas "empurrando-os" para a região de fronteira oriental, a população venezuelana que habita nessa área vive sitiada, ameaçada e coagida, o que dá início a uma migração de milhares de venezuelanos para a Colômbia, originando uma grave crise humanitária na região, com mais de 3.000 refugiados.

Nesse diapasão, Maduro que enfrenta um grande problema interno, com a economia do país fragilizada e com uma má gestão da COVID-19, aproveita a oportunidade para tentar tirar o foco do transtorno interno, por meio de manobras militares na região e de um discurso belicista contra a Colômbia. Dessa forma, o governo de Bogotá aumenta a tensão, também, realizando exercícios de suas forças armadas na região fronteiriça.

É digno de nota que ambos os países estão sem relações diplomáticas desde fevereiro de 2019, que foram rompidas por Maduro, o que dificulta uma possível negociação sobre a tensão fronteiriça.

Acordo informações, o preparo das forças armadas venezuelanas é deficiente, bem como existem vários relatos de deserções de suas fileiras, o que pode explicar os casos de maus tratos a sua população na área de conflito, bem como o apelo governamental para a formação de milícias locais.

O Blog é de opinião de que os grupos narcoguerrilheiros colombianos se constituem em uma ameaça a estabilidade e segurança venezuelanas, ainda mais devido a situação das forças armadas desse país, em que existem um adestramento deficiente e vários casos de deserção.

Não achamos que poderá haver um conflito entre a Colômbia e a Venezuela em razão dessa problemática, mas que ambos os lados tentarão aproveitar a oportunidade para desestabilizar um ao outro politicamente, e que poderão empregar a Guerra Híbrida.

Outrossim, em nossa opinião, essa situação deve ser acompanhada pelo nosso Ministério da Defesa, devido a uma possível entrada desses narcoguerrilheiros em nossa região amazônica, buscando refugio em nosso território, caso a Venezuela tenha sucesso no combate a esses grupos.

Qual a sua opinião? Devemos acompanhar esse cenário? Poderemos ser impactados?

Seguem alguns vídeos para nos auxiliar em nossas análises:

Matéria de 29/04/2021:

Matéria de 29/04/2021:

Matéria de 16/04/2021:

Matéria de 17/02/2021:

Matéria de 29/03/2021:

Matéria de abril de 2021:

Matéria de 18/04/2021:

Matéria de abril de 2021:

Matéria de 30/03/2021:

Matéria de 14/12/2020:

Matéria de 07/04/2021:

Matéria de 26/03/2021:

Matéria de 28/02/2019:

Matéria de 11/09/2019:


1 comentário


Isto é preocupante para a região!!!

Brasil não tem GOVERNO, não há diplomacia, não há preocupação com os brasileiros nas fronteiras.

Há sim, um IGNORANTE no poder, que poderá tentar "tirar proveito"!!!!

Curtir
bottom of page