top of page

Nigéria e sua importância geopolítica - Parte II.


Figura disponível em: https://gisgeography.com/wp-content/uploads/2017/09/Nigeria-World-Map.png

A Nigéria é um país importante para o Brasil, e por isso em 19 de maio de 2020 escrevemos o artigo "Nigéria e sua importância geopolítica", disponível em https://www.atitoxavier.com/post/nigéria-e-sua-importância-geopolítica, em que dissemos que ela está situada no entorno estratégico brasileiro, é um ator importante na geopolítica do petróleo, e que, na época, os seus problemas internos estavam incrementando a insegurança marítima (pirataria) no Golfo da Guiné no Atlântico Sul aumentando a militarização estrangeira na região, além de ser o único país da África Ocidental que possui um Mecanismo de Diálogo Estratégico com o Brasil, sendo a última reunião realizada em 2020 em Abuja, onde o Brasil foi representado pelo Vice-Presidente. Além disso, é um dos principais parceiros comerciais do nosso país na África.

Com o conflito na Ucrânia, a Nigéria teve a sua relevância aumentada, em virtude da necessidade da União Europeia - UE em encontrar um fornecedor de gás confiável, visando acabar com a sua dependência da Rússia.

Nesse sentido, o país passou a ser considerado como um potencial fornecedor de gás, por meio de gasodutos que sairiam do seu território em direção ao norte da África, e dali para a Europa.

Dessa forma, a Nigéria começou a enxergar no mercado de gás uma grande oportunidade de negócios, e com isso passou a dar uma maior prioridade a ele, após mais de 60 anos da predominância do petróleo em sua economia.

Na figura abaixo podemos ver que a Nigéria possui a oitava maior reserva de gás mundial:


Cabe pontuar que existem dois projetos de construção de gasodutos, que têm a Nigéria como origem:


- Gasoduto Transaariano:

Em 2009, Nigéria, Argélia e Niger assinaram um acordo para a construção do gasoduto Transaariano de 4.000 km de extensão, também conhecido como NIGAL, com o intuito de levar o gás nigeriano e argelino para a Europa.

Entretanto, esse gasoduto passaria por várias áreas do Sahel que apresentam problemas no campo da segurança, e que podem comprometer a confiabilidade do projeto. Além disso, os governos da Argélia e do Niger passaram por tensões, em virtude das deportações, iniciadas em 2014, de imigrantes africanos subsaarianos, irregulares, pelo governo de Argel para o deserto do Níger. As fronteiras entre esses países ficaram fechadas por causa da COVID-19, e em 2021 é que esses países reabriram as suas fronteiras.

Portanto, esses dois fatores foram os responsáveis para o projeto não ter ido adiante. Nesse sentido, o gasoduto ainda não tem uma previsão de prontificação.

Não obstante, existe uma tensão entre os governos do Marrocos e da Argélia, que resultou no fechamento do gasoduto MAGHREB-EUROPE (ver figura abaixo).

Com a problemática ucraniana o projeto desse gasoduto ganha uma chance de sair do papel.

Figura disponível em: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/7/7e/Gas_pipelines_across_Mediterranee_and_Sahara_map-en.svg/280px-Gas_pipelines_across_Mediterranee_and_Sahara_map-en.svg.png

- Gasoduto Marrocos - Nigéria:

Em maio deste ano, os governos do Marrocos e da Nigéria assinaram um acordo para construção de um gasoduto submarino de cerca de 5.700 km de extensão entre ambos os países em direção à Europa, o que o tornará no segundo maior do mundo. O projeto prevê a passagem por vários da países da África Ocidental, e o aproveitamento de gasodutos já existentes no Golfo da Guiné.

No momento o projeto está em fase de pesquisa e de busca de financiamento. Convém mencionar que a OPEP anunciou que pretende financiar parte da sua construção, bem como os russos manifestaram interesse em investir no projeto, o que não é do desejo do Ocidente.

Esse gasoduto possibilitará a dinamização das economias da África Ocidental, e ratifica a análise do nosso artigo "O conflito na Ucrânia e o aumento da importância geopolítica da África", que pode ser lido em https://www.atitoxavier.com/post/o-conflito-na-ucrânia-e-o-aumento-da-importância-geopolítica-da-áfrica.

Figura disponível em: https://www.theafricareport.com/media/2022/02/TAR118_PIPELINE_732x419.jpg

Ao analisarmos ambos os projetos acima vemos várias disputas geopolíticas, como Marrocos x Argélia, que foi mencionada no nosso artigo "A crise entre a Argélia e o Marrocos - mais um fator de instabilidade na África", disponível em https://www.atitoxavier.com/post/a-crise-entre-a-argélia-e-o-marrocos-mais-um-fator-de-instabilidade-na-áfrica, e Rússia x Ocidente, que foi abordada em vários dos nossos artigos.

Os EUA estão construindo em Lagos, na Nigéria, um novo consulado, muito maior que a anterior, demonstrando, assim, o interesse em estreitar os laços com o país. É importante registrar que essa iniciativa alinha-se com o esforço estadunidense em tentar diminuir o avanço geopolítico russo e chinês no continente africano, principalmente na Nigéria. Outrossim, o país é o mais populoso e a maior economia africana, o que o torna muito importante na disputa geopolítica entre as grandes potências.

Alguns analistas afirmam que a Nigéria poderá ser no futuro a "China africana", ou seja, uma potência econômica, caso consiga resolver os seus grandes problemas, como a corrupção.

O Blog é de opinião de que a Nigéria é um país que vem crescendo de importância no cenário internacional, tanto na parte econômica, quanto na geopolítica energética. Assim, o conflito da Ucrânia apresenta-se como uma grande oportunidade para esse país dinamizar a sua economia, fazendo com que seja, no futuro próximo, um palco de disputas geopolíticas pelos Centros de Poder (EUA - UE - China e Rússia).

Nesse sentido, torna-se importante que o Brasil fortaleça os seus laços políticos - econômicos - militares com a Nigéria, que está no nosso Entorno Estratégico, visando manter a nossa relevância com esse país.

Qual a sua opinião?

Seguem alguns vídeos para nos ajudar em nossas análises:

Matéria de 08/05/2022:

Matéria de 20/04/2022:

Matéria de 06/05/2022:

Matéria de 29/06/2021:

Matéria de 12/07/2020:






Comments


bottom of page