Onda Progressista na América do Sul.


Figura disponível em: https://socientifica.com.br/wp-content/uploads/2022/07/America-do-Sul.png

O Blog em sua Seção América e Atlântico Sul, disponível em https://www.atitoxavier.com/my-blog/categories/amer-e-atl-sul, acompanha o cenário geopolítico dessa região, em que nos artigos publicados vinha falando sobre a tendência do ressurgimento da esquerda, analisando as suas causas, conforme podemos ver nos artigos selecionados abaixo, e que sugerimos a releitura para que o leitor possa entender e fazer a sua própria análise:


- "A instabilidade política na América do Sul na período pré-pandemia. Como será no pós-pandemia?", de 15 de abril de 2020, acessível em https://www.atitoxavier.com/post/a-instabilidade-política-na-américa-do-sul-na-período-pré-pandemia-como-será-no-pós-pandemia;

- "O novo governo boliviano e o retorno do socialismo - indicador de tendência para a América do Sul?", 25 de novembro de 2020, que pode ser lido em https://www.atitoxavier.com/post/o-novo-governo-boliviano-e-o-retorno-do-socialismo-indicador-de-tendência-para-a-américa-do-sul ;

- "O futuro incerto do Chile - Parte II", de 28 de dezembro de 2021, disponível em https://www.atitoxavier.com/post/o-futuro-incerto-do-chile-parte-ii ;

- "O futuro governo da Colômbia e a atual tendência ideológica da América do Sul", de 24 de junho de 2022, acessível em https://www.atitoxavier.com/post/o-futuro-governo-da-colômbia-e-a-atual-tendência-ideológica-da-américa-do-sul ; e

- "Crise no Equador - tentativa de derrubada do governo", de 03 de julho de 2022, disponível em https://www.atitoxavier.com/post/crise-no-equador-tentativa-de-derrubada-do-governo.


O nosso país, em 30 de outubro, elegeu o ex-Presidente Luís Inácio Lula da Silva para o seu terceiro mandato, e com isso confirmou a nossa análise de 2020 sobre a tendência da esquerda retornar ao poder na América do Sul.

Ademais, no artigo de 25 de novembro de 2020, citado acima, falamos que: "é esperado que esse novo movimento de esquerda possa ter uma certa influência nas eleições de 2022 no nosso país.

Portanto, ao vermos as figuras a seguir podemos concluir que surge um novo ciclo da esquerda em nossa região:

Figura disponível em: https://cdn.cfr.org/sites/default/files/styles/large_s/public/image/2019/12/heads-of-state.png

Figura disponível em: https://static.poder360.com.br/2022/11/governos-america-latina-site-31-out-2022-v4.png

Apesar do breve período de governos conservadores na América do Sul, ele foi muito importante para a formação de uma oposição forte, e que demandará da esquerda uma mudança de postura, visando se manter no poder. Convém mencionar, que uma fração considerável da população que não se sentia representada nos governos esquerdistas ganharam voz e acabaram ganhando força política.

Além disso, devido as polarizações ocorridas em vários países, surgiu em uma parte considerável das populações o desejo por um governo que apresente uma política mais ao centro, ou seja, menos radical.

Nesse sentido, mantemos a nossa análise do artigo de 24 de junho, citado acima, em que falamos:


"Entretanto, ao analisarmos os atuais governos de esquerda sul-americanos, vemos que possuem diferenças entre si, onde podemos citar o Chile e o futuro governo da Colômbia representando uma versão de esquerda mais moderada, e descolada da visão de mundo anacrônica do período da Guerra Fria, como por exemplo a Venezuela. Como consequência eles reprovam o Chavismo, conforme declarações públicas feitas por Boric e Petro, em que pese serem favoráveis a retomada do diálogo com Maduro."


Assim, o Blog acredita que o próximo governo do Brasil deverá seguir a linha acima.

Logo, em nossa visão, em que pese haver um retorno da esquerda, ela será diferente do passado, com uma visão mais próxima dos governos de esquerda europeus, o que explica o título do artigo: Onda Progressista.

Assim, achamos que não há mais espaço para ditaduras de esquerda como as de Cuba, Venezuela e Nicarágua na América do Sul, e que os novos governos de esquerda terão um desafio em conciliar a redução da desigualdade com a manutenção da lógica do mercado capitalista.

O Blog é de opinião de que a América do Sul começará a ter uma maior alternância do poder entre os governos de direita e de esquerda, bem como tenderão ir, em futuro de médio prazo, mais ao centro, diminuindo o radicalismo político.

Qual a sua opinião?

Seguem alguns vídeos para auxiliar a nossa análise:

Matéria de 16/10/2022:

Matéria de 13/07/2022:

Matéria de 02/08/2022:

Matéria de 21/06/2022:

Matéria de 21/10/2022: