top of page

Mundo mais imprevisível e menos seguro. Precisamos nos preocupar?


Figura disponível em https://imguol.com/c/noticias/be/2023/10/08/8out2023---um-missil-explode-na-faixa-de-gaza-durante-um-ataque-aereo-de-israel-1696820364556_v2_900x506.jpg

O Blog desde a sua criação, em 2020, tem alertado e demonstrado, por meio dos seus artigos, que o mundo tem estado bastante instável, tendo como consequência uma crescente sensação de insegurança, o que tem gerado por parte dos Estados um contínuo incremento do investimento no setor militar, como podemos ver nas figuras abaixo:


Figura disponível em https://www.sipri.org/commentary/blog/2016/65-years-military-spending

Figura disponível em https://www.sipri.org/sites/default/files/2023-04/2304_fs_milex_2022.pdf

Assim, verifica-se que após o período da Guerra Fria o mundo nunca gastou tanto em investimento militar, denotando que estamos numa corrida armamentista impulsionada pela atual competição entre as grandes potências, como no passado.

Seguem alguns textos selecionados, e escritos por nós que recomendamos a leitura, que poderão contribuir com o leitor no entedimento da afirmação que fizemos no início deste artigo:



Na figura a seguir, que nos mostra os principais focos de instabilidade e de conflitos (internos e externos) no cenário internacional, podemos verificar que praticamente todo o globo vivencia uma experiência de insegurança:


Figura disponível em https://www.cfr.org/global-conflict-tracker

Os dados acima são atualizados constantemente pelo site Council on Foreign Relations, por meio da ferramenta Global Conflict Tracker, e pode ser acessado pelo link https://www.cfr.org/global-conflict-tracker. Nele, ao colocar o seu cursor no ponto em laranja é mostrada a situação de instabilidade corrente.

Portanto, podemos concluir que o mundo está sem um Ator, com força e influência, para estabilizar o cenário internacional, mediar as crises e interromper os conflitos. Tal Ator, em nossa opinião, deveria ser a ONU e que, infelizmente, a cada dia está ficando menos relevante, apesar de que sem ela o mundo estaria em situação mais catastrófica. Cabe mencionar que a ONU não possui recursos e nem poder militar próprios, pois depende da contribuição dos países membros.

Dessa forma, como afirmamos que estamos vivenciando uma corrida armamentista e uma competiçao entre as grandes potências, é esperado que esse organismo acabe sendo esvaziado pelo antagonismo e pela disputa por influência geopolítica entre os Estados competidores, o que prejudica muito a cooperação, sendo um exemplo disto as discussões no Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre o recente conflito entre Israel e o Hamas.

Nesse sentido, não por coincidência, tem-se verificado um aumento das tensões e dos conflitos no nosso planeta, o que corrobora a nossa afirmação de que estamos vivendo num MUNDO MAIS IMPREVISÍVEL E MENOS SEGURO, o que nos ajuda a compreender o porquê de termos cerca de 110 conflitos armados, internos e externos, acontecendo na atualidade.

Isto tem sido ratificado, também, por vários analistas, bem como por várias mídias nacionais e internacionais, conforme podemos verificar abaixo:

Nesse contexto, um fenômeno que tem surgido, por falta de um Ator que possa estabilizar e distensionar as crises, é a ameaça do uso da força, por parte de Estados mais fortes militarmente, com o intuito de resolver disputas territoriais, bem como para reivindicar regiões que, devido a fatores históricos e econômicos, ainda encontram-se, de alguma forma, em litígio entre alguns países, demonstrando que ambições geopolíticas estão aflorando a cada dia, vide a problemática entre a Armênia e o Azerbaijão; Rússia e a Ucrânia; China e Taiwan; e Venezuela e Guiana.

Logo, vemos que o Realismo está tendo um maior protagonismo nas relações internacionais, havendo um retorno das guerras regionalizadas, bem como estamos num mundo multipolar.

O Blog é de opinião que, em virtude de estarmos num período de instabilidade global, existe a obrigatoriedade de se ter uma inteligência estratégica que acompanhe os movimentos geopolíticos com a devida atenção, a fim de assessorar o Poder Político na preparação do Estado para "transitar" com maior segurança neste mundo mais imprevisível e menos seguro, que temos constantemente alertado.

Dessa forma, o descaso dos governos brasileiros com os assuntos de inteligência estratégica e de defesa poderá cobrar um preço que, ainda, não estamos preparados para "pagar", pois afinal as "turbulências" não ficam restritas as regiões longínquas, haja vista que temos observado algumas crises se aproximando de nossas fronteiras tanto marítimas quanto terrestres.

Portanto, devemos nos preocupar com o que acontece no mundo, pois o que ocorre no exterior poderá impactar em alguma medida no nosso território.

Qual a sua opinião?

Seguem alguns vídeos para ajudar em nossa análise:

Matéria de 17/11/2023:

Matéria de 22/05/2022:


Opmerkingen


bottom of page