top of page

CPLP, oportunidade de projeção geopolítica do Brasil.


Figura disponível em: https://www.revistaport.com/upload/noticias/imag_Jan_17/noticia_788_hierar_1.jpg

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) foi criada em 1996, por iniciativa brasileira, e é composta pelos seguintes Estados-membros: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Além disso, a CPLP possui os observadores associados que possibilitou uma janela de oportunidade para o eventual ingresso de Estados ou regiões lusófonos que pertencem a Estados terceiros, mediante acordo com os Estados-membros, como por exemplo: Grão-Ducado de Luxemburgo, Principado de Andorra, Reino Unido da Grã-Bretanha e da Irlanda do Norte, República da Argentina, República do Chile, República Francesa, República Italiana, República da Sérvia, Hungria, República Checa, República Eslovaca e República Oriental do Uruguai. Sendo prevista a entrada da Índia neste ano. Convém, também mencionar, que a relação econômica da China com os países da CPLP vem aumentando a cada ano.

Ao olharmos a figura acima, vemos que a maioria dos Estados-membros "olham"para o Brasil, pois estão na África Ocidental que é a região do nosso entorno estratégico. Ademais, a CPLP está presente em 4 continentes, e a língua portuguesa é a quinta mais falada no mundo, sendo que no mundo ocidental só perde para o inglês e o espanhol. Com a entrada dos observadores associados, isso facilitará que o estudo da língua portuguesa possa ser mais difundida no mundo. Isso poderá possibilitar que no futuro possa ser uma das línguas oficiais da ONU.

Neste cenário, vemos que a CPLP vem adquirindo maior projeção internacional, sendo atualmente um fórum multilateral para economia, cultura, segurança e defesa, além de aprofundar os laços de amizade. Outro ponto importante a ser destacado é que vários países membros participam de diversos fóruns internacionais e grupos regionais, isso poderia ajudar o Brasil na consecução dos seus interesses nacionais (assento como membro do Conselho de Segurança da ONU, possível negociação econômica com grupos regionais etc).


Figura disponível em: https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn%3AANd9GcTEva96IwoVicy70ur1F4HDAFCQCpry1yMw2NwJn8tBWNs86umS&usqp=CAU

Neste sentido, o Brasil como a maior economia, protagonismo no agronegócio e pelo seu tamanho e potencial de crescimento possui todas as oportunidades para liderar a CPLP, possibilitando uma maior projeção internacional. Não podemos esquecer da importância do Atlântico Sul para o nosso país, e uma grande integração com os países da África Ocidental nos ajudaria no incremento da segurança e estabilidade regionais, ainda mais porque a CPLP possui o Centro de Análise Estratégica (CAE), que nos dias de hoje é dirigida por um Oficial da Marinha do Brasil, e que abre a oportunidade para o Brasil tentar influenciar os outros Estados-membros na área da defesa por meio de iniciativas de cooperação militar. Atualmente, existe o exercício Operação Felino que oferece treinamento conjunto e combinado às Forças Armadas dos Estados-membros.

Será que o Brasil deixará essa oportunidade passar e cederá a Portugal o protagonismo? Continuaremos a olhar para dentro? Continuaremos a sermos pequenos?

Seguem alguns vídeos sobre o tema, visando auxiliar na análise:







Qual a sua opinião? Você conhecia o potencial da CPLP?

Commentaires


bottom of page