top of page

Como os Jogos de Guerra podem minimizar as surpresas nos possíveis conflitos?


Figura disponível em: https://ssp.mit.edu/sites/default/files/newspage/wargaming_pic.jpg

O Blog em sua Seção Jogos de Guerra, acessível em https://www.atitoxavier.com/my-blog/categories/jogos-de-guerra, vem tentando demonstrar a importância do uso e do estudo dessa metodologia, com o intuito de criar uma mentalidade sobre o tema na nossa sociedade. Convém mencionar que o termo "Jogos de Guerra - JG" é usado de forma equivocada por jornalistas, e até por especialistas em defesa, devido ao grande apelo comercial que a expressão possui.

Nesse sentido, como acompanhamos a situação geopolítica no mundo, achamos interessante apresentar dois JG realizados sobre o cenário de um possível conflito no Pacífico, mais precisamente entre a China e os EUA, incluindo os aliados deste, envolvendo uma invasão chinesa à Taiwan. Os relatórios sobre os esses JG podem ser acessados no Blog por meio dos links: https://de9abb8c-83aa-4859-a249-87cfa41264df.usrfiles.com/ugd/de9abb_347bd7641cd444088af66cde1dea833c.pdf (promulgado em janeiro de 2023) e

Entretanto, antes de abordarmos tais relatórios e algumas de suas análises, que certamente contribuirão para os EUA e aliados, e logicamente também para China já que com certeza deve ter tomado conhecimento deles pois é público, achamos interessante que o leitor, por meio dos artigos que selecionamos abaixo, possa ter uma breve contextualização da situação sobre Taiwan:


- "Mar do Sul da China: tensão constante. Poderá haver conflito na região?", de 08/04/2020, disponível em https://www.atitoxavier.com/post/mar-do-sul-da-china-tensão-constante-poderá-haver-conflito-na-região;


- "A limitação geográfica marítima chinesa e sua vulnerabilidade geopolítica", de 14 de maio de 2020, acessível em https://www.atitoxavier.com/post/a-limitação-geográfica-marítima-chinesa-e-sua-vulnerabilidade-geopolítica;


- "Taiwan: peão dos EUA no xadrez geopolítico com a China", de 25 de maio de 2020, que pode ser lido em https://www.atitoxavier.com/post/taiwan-peão-dos-eua-no-xadrez-geopolítico-com-a-china;


- "Mar do Sul da China: tensão constante. Poderá haver conflito na região? Parte II", de 26 de julho de 2020, disponível em https://www.atitoxavier.com/post/mar-do-sul-da-china-tensão-constante-poderá-haver-conflito-na-região-parte-ii;


- "Taiwan: primeiro teste para Biden em relação à China", acessível em 30 de janeiro de 2021, que pode ser lido em https://www.atitoxavier.com/post/taiwan-primeiro-teste-para-biden-em-relação-à-china;


- "EUA e China: disputa no mar. Tensão constante", de 16 de abril de 2021, disponível em https://www.atitoxavier.com/post/eua-e-china-disputa-no-mar-tensão-constante;


- "Crise da Ucrânia: laboratório para a problemática de Taiwan", de 20 de janeiro de 2022, acessível em https://www.atitoxavier.com/post/crise-da-ucrânia-laboratório-para-a-problemática-de-taiwan;


- "A estratégia dos EUA para o Indo-Pacífico: reação contra o expansionismo chinês", de 15 de março de 2022, disponível em https://www.atitoxavier.com/post/a-estratégia-dos-eua-para-o-indo-pacífico-reação-contra-o-expansionismo-chinês;

Outrossim, existem vários artigos sobre o assunto em nosso Blog nas nossas Seções EUA, China e Ásia, que podem ser acessados respectivamente nos links https://www.atitoxavier.com/my-blog/categories/eua, https://www.atitoxavier.com/my-blog/categories/china e https://www.atitoxavier.com/my-blog/categories/%C3%A1sia.


Os JG que nos referimos acima foram conduzidos por duas renomadas organizações civis estadunidenses voltadas para os assuntos de segurança e defesa: Center for Strategic & International Studies - CSIS (https://www.csis.org/) e pelo Center for a New American Security - CNAS (https://www.cnas.org/), intitulados respectivamente The First Battle of the Next War - Wargaming a Chinese Invasion of Taiwan e Dangerous Straits Wargaming a Future Conflict over Taiwan.

Ambos os JG apresentaram sugestões de dissuasão estadunidense contra uma possível agressão chinesa à Taiwan; as vulnerabilidades de ambos os oponentes; a importância dos aliados estadunidenses, como Austrália e Japão; as lições apreendidas que deverão ser implementadas pelo Departamento de Defesa e pelo Congresso estadunidense, bem como por Taiwan.

Outrossim, esses JG demonstraram que o possível conflito trará pesadas perdas para os envolvidos, inclusive podendo causar um problema militar para os EUA a longo prazo, como podemos observar num dos relatórios abaixo:


The United States and Japan lose dozens of ships, hundreds of aircraft, and thousands of servicemembers. Such losses would damage the U.S. global position for many years. While Taiwan’s military is unbroken, it is severely degraded and left to defend a damaged economy on an island without electricity and basic services. China also suffers heavily. Its navy is in shambles, the core of its amphibious forces is broken, and tens of thousands of soldiers are prisoners of war. (CSIS)


Ultimately, neither side was able to decisively win in the initial week of fighting. Both Red and Blue had expended large portions of their inventories of precision long-range missiles, lost many fighter aircraft, and needed to resupply and rearm forces under attack. [...] Neither side felt as though it had lost the fight over Taiwan. Even though China hoped to deter U.S. and allied and partnered involvement to support Beijing’s desired quick victory, it was prepared for a long fight. (CNAS)


Logo, pode-se concluir que uma guerra entre a China e os EUA, com os seus aliados Austrália e Japão, referente à Taiwan não é algo desejado por nenhum deles, pois todos têm muito a perder. Porém, também não é improvável que ele ocorra, dado que a tensão é elevada na região e qualquer erro de cálculo pode iniciar um conflito, como temos mencionado no Blog desde 2020.

Da mesma forma, conclui-se sobre a importância de se ter aliados, a exemplo do Conflito da Ucrânia, onde a Rússia, sozinha, está lutando contra os ucranianos e a OTAN, numa guerra por procuração. Assim, os JG acima demonstraram a importância disso, pois a China estará sozinha contra EUA, Taiwan, Japão e Austrália, e quiçá outros países poderão entrar no conflito ao lado dos estadunidenses.

Tais relatórios têm sido estudados tanto pelos governos envolvidos quanto pelas sociedades civis, havendo vários debates na mídia regional e internacional. Daí podemos entender porque os possíveis envolvidos no conflito estão adotando medidas para aumentar a sua situação militar, como aumento de investimentos em novos equipamentos e meios, atualização de suas estratégias, doutrinas e táticas, bem como a realização de exercícios combinados entre as suas forças armadas. Porém, esse cenário aumenta a instabilidade na região do Indo-Pacífico.

Do exposto acima, podemos inferir como os JG minimizam surpresas em possíveis conflitos.

Portanto, vemos como a metodologia dos JG é valorizada e considerada fundamental em vários países, sendo praticada por organizações civis, como descrevo no meu livro Desvendando os Jogos de Guerra: uma introdução no assunto, única obra nacional sobre JG profissionais militares.

Entretanto, infelizmente, no Brasil a metodologia dos JG ainda são de total desconhecimento da sociedade civil, e em certa medida no meio militar, pois em que pese ter o nome Jogos de Guerra, a metodologia pode ser usada para uma análise de problemas civis, como segurança pública, políticas públicas etc, como temos mencionado no nosso Blog e no livro. Um exemplo de sua utilidade seria se tivesse sido empregada na segurança da Praça dos Três Poderes, pois teria revelado os prováveis cenários com recomendações do que fazer, e com certeza vários episódios lamentáveis não teriam acontecido, e as surpresas seriam minimizadas.

Convém mencionar que antes das Olímpiadas no Rio de Janeiro houve um JG sobre a segurança dos Jogos Olímpicos, em que vários cenários foram jogados e o evento transcorreu com segurança.

É digno de nota que a Marinha do Brasil possui o único Centro de Jogos de Guerra do nosso país que fica na Escola de Guerra Naval. Além disso, é possível tomar conhecimento do Manual sobre JG que pode ser acessado em https://www.marinha.mil.br/egn/sites/www.marinha.mil.br.egn/files/EGN-181%20-%20Jogos%20de%20Guerra.pdf.

Assim recomendamos ao leitor que leia um dos relatórios mencionados nesse artigo para que possa entender melhor o produto de um JG, e em consequência a sua importância.

O Blog é de opinião que a metodologia JG deve ser difundida na nossa sociedade civil como no resto do mundo, pois os resultados minimizam surpresas indesejáveis.

Ademais, como a nossa fronteira oriental possui grande vulnerabilidade, como temos apresentado em vários de nossos artigos, a realização de JG sobre possíveis problemas em nossas águas jurisdicionais - Amazônia Azul - poderia apontar para o poder político e para a sociedade brasileira o que precisa ser feito para podermos cuidar e proteger as nossas riquezas perante alguns cenários de contestação da nossa soberania.

Qual a sua opinião?

Seguem alguns vídeos para auxiliar a nossa análise:

Matéria de 09/01/2023:

Matéria de 09/01/2023:

Matéria de 10/01/2023:

Matéria de 19/08/2022:

Matéria de 21/06/2022:

Matéria de 09/01/2023:





Comments


bottom of page