top of page

A revolução 4.0 e os impactos nos setores de defesa. A corrida pela supremacia militar.


Figura disponível em: https://jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2020/01/ia01.jpg
Figura disponível em: https://jornaldebrasilia.com.br/wp-content/uploads/2020/01/ia01.jpg

Estamos entrando na era da revolução 4.0 que será marcada pela automação, e troca de dados em grande velocidade. Dessa forma, verificamos uma corrida pela dominância da tecnologia 5G numa acirrada disputa entre os EUA e China que poderá causar uma divisão tecnológica mundial, onde já ocorre uma forte pressão norte-americana em seus países aliados para não empregar a tecnologia concorrente por meio de possíveis sanções políticas e econômicas.

Além do mencionado acima, tal era será marcada pelo uso intensivo da inteligência artificial, notadamente nas forças armadas. Estão em desenvolvimento embarcações e aeronaves com capacidade de combate. Porém, alguns aspectos devem ser solucionados, como até que ponto tais meios poderão decidir engajar com os alvos selecionados.

O domínio de tais tecnologias disruptivas poderá desbalancear o poderio militar, impactando fortemente na geopolítica mundial.

Seguem alguns vídeos de interesse sobre o tema (aos que desejarem legendas, sugiro após dar o play que altere as configurações de legenda no canto inferior direito dos vídeos):




Qual a sua opinião? Você acha que as nossas Forças Armadas deveriam se concentrar em desenvolver junto com o meio acadêmico tais meios com tecnologias disruptivas? E o orçamento para o desenvolvimento? Como impulsionar a nossa indústria de defesa?

Commentaires


bottom of page