A influência das eleições estadunidenses na geopolítica pós-pandemia.


Figura disponível em: https://insidearabia.com/wp-content/uploads/2020/04/Former-Vice-President-Joe-Biden-in-Wilmington-DE-on-March-12-2020-left-and-President-Donald-Trump-at-the-White-House-in-Washington-on-April-5-2020-AP-Photo-File-1280x640.jpg

Nas relações internacionais o responsável pela política externa de um país é o seu mandatário, sendo a sua visão de mundo implementada pelo setor de política externa, em alguns países chama-se Ministério das Relações Exteriores, em outros Secretaria de Estado e por aí vai. Dessa forma, torna-se fundamental estar atento as plataformas dos candidatos dos grandes atores globais, pois eles influenciam o status da geopolítica mundial, ainda mais agora em que estamos numa época de mundo menos seguro e mais imprevisível.

Neste sentido, as eleições dos EUA agendadas para novembro serão um acontecimento muito importante, ainda mais devido as relações EUA e China estarem em seu pior momento, e que com toda certeza os candidatos adotarão promessas de relações mais duras e tensas com o rival chinês, a fim de conquistar eleitores. Não podemos nos esquecer que também deverão vir a tona os temas Rússia e Irã.

Sendo assim, já podemos ver que Trump que está concorrendo a reeleição tenta culpar qualquer um pela problemática da pandemia da COVID-19 nos EUA, sendo o alvo predileto a China, dando origem ao jogo da culpa (blame game) potencializado pela "infodemia"(pandemia das informações), termo cunhado pela Organização Mundial da Saúde, em que os EUA alegam que o vírus surgiu em laboratório militar chinês nomeando o novo coronavírus, como "vírus chinês" ou "vírus de Wuhan", e a China, por outro lado, colocando a culpa nos EUA, dando origem a muitas fakenews. Outrossim, o outro objetivo do governo Trump era desgastar a imagem chinesa perante o cenário internacional. Tal infodemia obrigou a China a usar todo o seu softpower para tentar melhorar a sua imagem no mundo, bem como diminuir a desconfiança dos países.

Como todos os historiadores e estudiosos de geopolítica têm sido quase unânimes em afirmar que a atual pandemia está tendo como característica ser a catalisadora de grandes mudanças que já estavam em movimento, isso poderá fazer com que junto da eleição dos EUA, moldar o futuro da nova ordem mundial. Com isso, recomendo a releitura das postagens: O século XXI será o período da Ásia e do declínio dos EUA? A pandemia poderá ajudar nisso? e Os EUA e os desafios atuais para manter a hegemonia global.

O resultado da eleição presidencial poderá ser a continuação da política de isolacionismo estadunidense, só que mais profunda ou o retorno ao multilateralismo tendo os EUA como protagonista, diminuindo o espaço chinês. Porém, qualquer um dos resultados não deverá amenizar em curto e médio prazos a tensão geopolítica entre China e EUA.

Neste cenário, creio que a Europa será uma das mais impactadas pelo resultado das eleições estadunidenses, pois atualmente está muito enfraquecida, seja por problemas vividos na União Européia e que foram potencializadas pela pandemia (políticos, econômicos, ameaça russa, etc), seja pela disputa geopolítica entre EUA e China (mercado 5G, programa de investimentos chineses na infraestrutura européia etc).

O Brasil pode ficar numa posição muito incômoda dependendo do resultado das eleições dos EUA, caso o partido democrata obtenha sucesso, devido a política externa do atual governo. Além disso, deve-se ficar muito atento a essa disputa geopolítica, pois os EUA e a China são fundamentais para o nosso país por vários motivos (econômicos, defesa, segurança e infraestrutura).

As perguntas que ficam são: Quão pior serão as relações EUA e China após as eleições estadunidenses e os impactos no mundo? Qual será a posição brasileira nesse embate?

Seguem alguns vídeos para auxiliar a análise (legendas podem ser inseridas):


Este vídeo fala sobre a problemática da Infodemia no mundo:

Esses vídeos mostram o jogo da culpa entre China e EUA:



Esses vídeos mostram a disputa entre os candidatos no tocante a futura política em relação a China:




Esse vídeo fala sobre como pandemia pode afetar a disputa entre EUA e China (revisão do que já tratamos em vários posts):

Visão chinesa sobre a disputa da futura eleição presidencial dos EUA:


Qual a sua opinião?